Notícia - Rotatividade dos profissionais paulistanos de TI foi de 10% no 1º semestre

Rotatividade dos profissionais paulistanos de TI foi de 10% no 1º semestre

Rotatividade dos profissionais paulistanos de TI foi de 10% no 1º semestre

Dos 110 mil trabalhadores de TI empregados até junho no município, 10,8 mil trocaram de emprego.
A rotatividade do setor de TI na cidade de São Paulo alcançou 9,8% no primeiro semestre de 2012, de acordo com dados do Sindicato dos Trabalhadores de TI (Sindpd-SP). O índice é mais alto do que as médias nacionais de atividades como indústria de transformação (3,8%) e comércio (4,5%), divulgadas mensalmente pelo Cadastro Geral de Emprego e Desemprego (Caged) do Ministério do Trabalho.

Segundo o Ministério do Trabalho, a capital paulista abriga cerca de 58% dos postos de trabalho em TI do estado e 27% do Brasil. Dos 110 mil trabalhadores de TI empregados até junho no município, 10.789 mil trocaram de emprego. No mesmo período do ano passado, esse número era 43% menor, somando 7.544 mil.

As áreas com rotatividade mais elevada no País, indica o Caged, no primeiro semestre deste ano, são construção civil, com média de 7%, agropecuária [5,8%], e comércio, com 4,5%. No setor de serviços, do qual TI faz parte, a rotação chega a 3,8%.

O presidente do Sindpd-SP, Antonio Neto, acredita que os números são reflexo da falta de políticas claras de cargos, salários baixos e benefícios pouco atrativos para o segmento. “O setor de TI cresce mais de 10% ao ano. Com o mercado aquecido e o déficit de mão de obra qualificada, o trabalhador muda de emprego com mais facilidade atraído por melhores salários, benefícios e planos de carreira mais objetivos”, opina.

O executivo aponta que a rotatividade prejudica o desenvolvimento do setor e que a possível solução seria motivar e valorizar o trabalhador para que ele se sinta parte da empresa. “Isso pode ser apoiado por ferramentas como planos claros de cargos e salários, incentivo à profissionalização e participação nos lucros e resultados”, observa.